Alimentação viva valoriza a vitalidade presente nos alimentos

Como facilita os processos naturais de desintoxicação, a pessoa encontra maior bem-estar, autoconhecimento e disposição física.

Ao ouvir falar em alimentação viva, muitas pessoas acabam pensando em um determinado tipo de dieta – que permite certos grupos de alimentos e exclui outros -, mas, ela vai muito além disso, tratando-se, na verdade, de um estilo de vida.

A alimentação viva é um estilo de vida que valoriza a vitalidade presente nos alimentos. Por isso, é baseada em sementes germinadas, brotos e vegetais crus em natural. Essa alimentação deve ser livre de cozimento, processados e derivados de animais.

Vale ressaltar: a culinária viva “recria pratos”, ou seja, segue o formato de algumas comidas da culinária convencional, mas não usa o cozimento (para não modificar o alimento). É possível fazer pizza, por exemplo, preparada com uma massa de trigo germinado e sal, levemente desidratada. Em vez de queijo, pode-se usar, por exemplo, sabores como rúcula, tomate seco, entre outras opções.

Benefícios da alimentação viva

A consideração é que este tipo de alimentação é altamente desintoxicante, o que, consequentemente, traz uma série de benefícios à saúde e ao bem-estar da pessoa.

Ela facilita os processos naturais de desintoxicação, ou seja, permite que o corpo se organize, sem perder energia com a digestão. Como resultado, o praticante encontra maior bem-estar, clareza mental, alegria de viver, autoconhecimento, serenidade, além de maior vitalidade e entusiasmo para atividades diárias.

Dessa forma, podem ser destacados como principais benefícios da alimentação viva:

  • Maior disposição física;
  • Melhor qualidade do sono;
  • Entusiasmo em viver;
  • Redução de apetite para alimentos de difícil digestão;
  • Maior sensação de bem-estar;
  • Melhora do humor;
  • Depois de um tempo é comum que ocorra uma consequente perda de peso (embora este não seja o foco);
  • Diminuição do risco de problemas de pressão arterial, além do risco de doenças crônicas, como diabetes, entre outras.

Para quem é indicada a alimentação viva?

Esse método de alimentação viva é indicado para todas as pessoas, de qualquer idade. O importante é germinar corretamente, se alimentar nas quantidades e variações adequadas e se observar.

Acrescenta-se que não há riscos em seguir a alimentação viva. O único risco é a pessoa se tornar viciada em bem-estar, querer transformar sua rotina mais intensamente e adotar um estilo de vida mais feliz.

Mas a recomendação para a pessoa que tem interesse nesta mudança alimentar, claro, é buscar uma orientação profissional, para que possa fazer uma introdução gradual do alimento vivo na sua dieta cotidiana, respeitando sempre seu corpo. É importante ainda sempre compartilhar os resultados com o médico e/ou nutricionista de confiança.

Leia também: Os 7 Maiores Mitos Sobre Alimentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar!

maillots football boutique fussball trikots outlet billige fodboldtrøjer fótboltatreyjur maillot de foot venta camisetas de futbol baratas goedkope voetbalshirts maillot foot pas cher maglie di calcio online fotbalové dresy eshop fotbollströjor med tryck stroje piłkarskie